"Multiplica os teus olhos para verem mais.
Multiplica os teus abraços para semeares tudo."
Cecília Meireles

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Tiradentes




 
Clique na imagem para ampliar

Joaquim José da Silva Xavier 
(nascido em 12/04/1746 na Comarca do Rio das Velhas/MG, morto em 21/04/1792 no Rio de Janeiro/RJ) 

Joaquim José da Silva Xavier nasceu na Fazenda do Pombal, localizada na jurisdição territorial de São João Del Rei, então parte da Comarca do Rio das Velhas. Nascido em uma época em que ler e escrever eram habilidades de uma minoria da população mineira, Tiradentes destacava-se por tê-las adquirido bastante cedo.

Na idade adulta, buscou primeiro sustentar-se como negociante ambulante. Há relatos históricos que ressaltam sua habilidade na extração e colocação de dentes novos, que ele mesmo moldava. Deste trabalho desenvolvido que provém sua alcunha (apelido de Tiradentes).

Mais tarde, abandonou o comércio e o exercício da profissão de dentista e ingressou na Cavalaria de Minas, tropa paga do governo colonial, na qual chegou ao posto de alferes.

Foi líder do primeiro movimento político, a Inconfidência Mineira, que ocorreu no Brasil Colonial com o objetivo de promover a instauração de governo republicano no país. Considerado pelo Governo da época como alguém que estava “perturbando a paz dos povos” foi condenado a morte por enforcamento, seguida de esquartejamento de seu corpo, para exibição em todos os lugares por onde havia passado pregando suas ideias republicanas. Desta maneira, serviria de exemplo para demonstrar o poder real e o destino de quem fosse contra a ordem estabelecida.

Outras revoltas surgiram, o domínio português nunca mais foi o mesmo. Era possível sonhar com uma pátria brasileira. As ideias de liberdade se espalharam pelo Brasil. Quando veio a Proclamação da República, em 1889, a figura de Tiradentes foi recuperada na história. O idealismo de Tiradentes, seu compromisso com a libertação do Brasil e as crueldades dos castigos que sofreu o transformaram em um símbolo, um herói da pátria.

Fontes:
XAVIER, J. J. S. (Tiradentes). In: NOVO dicionário biográfico de Minas Gerais: 300 anos de história. Belo Horizonte: Instituto Cultural Amilcar Martins, 2013.

TIRADENTES. [São Paulo]: Abril, 2000. (Coleção de olho no mundo, 4. Recreio) 

  
Os títulos citados acima fazem partem da coleção de Obras de Referência da Biblioteca Cecília Meireles.
 
 
Você sabe o que são Obras de Referência? 

"São obras contendo assuntos gerais com o objetivo de auxiliar a pesquisa de usuários, possibilitando a rápida obtenção das informações requeridas, não sendo permitido o empréstimo domiciliar. Nesta categoria, encontram-se as enciclopédias gerais e especializadas, dicionários, guias, anuários, almanaques e atlas."

Fonte: POLÍTICA de desenvolvimento de acervo das bibliotecas escolares da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte. Belo Horizonte: SMED/PBH, 2009. p.10.   



sábado, 19 de abril de 2014

Ovos de Páscoa - Poema de Adélia Prado



Ovos de Páscoa

O ovo não cabe em si, túrgido de promessa,
a natureza morta palpitante.
Branco tão frágil guarda um sol ocluso,
o que vai viver, espera. 


Fonte: Prado, Adélia. Bagagem. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006. p. 27.


O livro Bagagem faz parte do acervo da Biblioteca Cecília Meireles. Outros títulos da autora que você também encontra na Biblioteca:

  • Carmela vai à escola. (Editora Record)
  • Quando eu era pequena. (Editora Record)

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Paixão e Fé




Você conhece a composição de Tavinho Moura e Fernando Brant cantada por Milton Nascimento?


Paixão e fé

Tavinho Moura e Fernando Brant
                                                           

Já bate o sino, bate na catedral
E o som penetra todos os portais
A igreja está chamando seus fiéis
Para rezar por seu Senhor
Para cantar a ressurreição

E sai o povo pelas ruas a cobrir
De areia e flores as pedras do chão
Nas varandas vejo as moças e os lençóis
Enquanto passa a procissão
Louvando as coisas da fé

Velejar, velejei
No mar do Senhor
Lá eu vi a fé e a paixão
Lá eu vi a agonia da barca dos homens

Já bate o sino, bate no coração
E o povo põe de lado a sua dor
Pelas ruas capistranas de toda cor
Esquece a sua paixão
Para viver a do Senhor


Fonte 
http://www.vagalume.com.br/milton-nascimento/paixao-e-fe.html


sexta-feira, 11 de abril de 2014

Páscoa - Indicação de leitura



Clique na imagem para ampliar



Indicação de Leitura


A surpresa de Páscoa dos brinquedos de Dugald Steer, ilustrado por Susanna Ronchi, traduzido por Carolina Caires Coelho, Editora Ciranda Cultural.

Um belíssimo livro com figuras em alto relevo, para contar aos pequenos. No mundo dos brinquedos, o urso Teddy faz uma descoberta... Ficou curioso? Quer saber?


Este título faz parte do acervo da
Biblioteca Cecília Meireles
 para uso dos professores da Escola!
Você sabia?!

 

Novas Aquisições




Clique na imagem para ampliar


Informamos que os empréstimos das últimas aquisições foram um sucesso!

Hoje, postamos mais uma relação de títulos adquiridos que já foram disponibilizados, alguns já circulam pelos lares dos leitores que frequentam a nossa Biblioteca Cecília Meireles.






Para salvar ou compartilhar uma cópia do arquivo, você também pode acessar Novas aquisições da Biblioteca Cecilia Meireles - EMMRC Março / Abril 2014

terça-feira, 8 de abril de 2014

Novas Aquisições - Periódicos


Você já conhece os títulos das revistas do acervo de Periódicos da
 Biblioteca Cecília Meireles?

Que tal passar na Biblioteca e conferir !!!

Clique na imagem para ampliar



A edição de fevereiro da revista Nova Escola apresenta dicas 
para o professor desenvolver atividades com o tema
 "Copa do Mundo".
Olha, as dicas do Rezendinho! 
 
Clique na imagem para ampliar


Estamos esperando por você! 

terça-feira, 1 de abril de 2014

Indicação de Leitura - Hans Christian Andersen




Indicação de leitura

 

Contos e histórias de Hans Christian Andersen, ilustrações originais de Vilhelm Pedersen e Lorenz Frolich, seleção e tradução de Renata Cordeiro, Editora Landy .

Coletânea de contos e histórias do escritor dinamarquês do período entre 1835 e 1862. Traduzidas com a preocupação de manter o traço original do autor. Você vai reencontrar O Patinho Feio, A Pequena Sereia, A roupa nova do Imperador; e, também, poderá descobrir A Vovó, O Porco de metal, O Trigo-negro ...

A Biblioteca Cecília Meireles possui este
 e outros títulos do autor.
Venha conhecer!!!